Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/09/19 às 15h17 - Atualizado em 30/09/19 às 15h17

Assentamentos 1º de Julho e Nova Camapuã recebem visita da direção da Emater-DF

Encontro aconteceu no dia 27 de setembro e contou com a presença da presidente da Emater-DF

 

A presidente da Emater-DF, Denise Fonseca, e o diretor-executivo, Antonio Dantas, visitaram, na manhã de sexta-feira (27), os assentamentos 1º de Julho e Nova Camapuã, situados em regiões administrativa de São Sebastião. No 1º de Julho, quase todas as propriedades são lideradas pelo sexo feminino. Dos 60 assentados, 59 têm sua produção tocada por mulheres.

 

Entre as maiores demandas dos assentados, a regularização das terras é a mais urgente. Com o documento da terra, os grupos esperam participar dos programas sociais voltados para a área rural e conseguir empréstimos para investir na produção. Energia e água também foram apontados como problemas enfrentados pelos produtores. 

 

Governo e produtores buscam soluções para demandas de assentamento

Emater-DF incentiva criação de aves no Assentamento Contagem

Agrofloresta é tema de oficina em assentamento

 

“Apesar da dificuldade e do pouco recurso, a Emater está nos acompanhando nas outras questões de produção, mas somente com o documento é que a gente vai conseguir participar de programas e projetos que necessitam da documentação”, disse Lucimeire Pereira de Jesus, 52 anos, moradora na região desde 2010. 

 

Durante o encontro, a presidente da Emater afirmou que o objetivo da visita era conhecer de perto os produtores e a realidade do assentamento. “Estamos aqui para ouvir as demandas e necessidades da região, buscarmos juntos por soluções e auxiliar vocês dentro do que pudermos fazer, da melhor forma”, ressaltou Denise.

 

Assentamento tem presença marcante de mulheres, que lideram a produção em suas propriedades

 

O diretor-executivo da empresa, Antonio Dantas, ressaltou a importância que o governo do Distrito Federal está dando para a reforma agrária e a disposição da empresa em ajudar no que for preciso para o desenvolvimento rural da região. “O trabalho que vinha sendo feito, e bem feito, a gente vai continuar e aprimorar. Para aprimorar a gente precisa ouvir vocês”, disse. 

 

Dantas também falou sobre o trabalho de orientação realizado pelos técnicos. “Quando algum produtor vai na Emater questionar algum problema, mesmo que não seja da alçada da empresa, ele não sai de lá sem informações, pelo menos do caminho que ele tem que percorrer para ser atendido naquela demanda”, disse.

 

A direção da empresa alertou os moradores sobre a importância de sensibilizar parlamentares para a questão da falta de água na região, como meio de viabilizar a construção de um canal que leve água até o assentamento. Com a falta de recurso, a emenda parlamentar é uma alternativa de captar dinheiro para investimento na demanda.

 

Maria Dalva criou uma casa de farinha em sua propriedade e vende seus produtos em feiras locais

 

No Assentamento 1º de Julho, a visita da direção também se estendeu a duas propriedades. Uma delas de Maria Dalva de Souza, 65 anos, produtora de milho, feijão e mandioca. Em sua propriedade, ela já fez uma casa de farinha e está em fase de implantação de uma agrofloresta, onde ela pretende plantar limão, laranja, hortaliça, bananas. Em visita proporcionada pela Emater-DF dela na Agrobrasília, Maria Dalva conheceu o sistema e logo quis pôr em prática. Para concretizar o projeto, está esperando o início das chuvas.

 

Nova Camapuã

Em Nova Camapuã o encontro aconteceu na propriedade do presidente da Associação Nova Camapuã, Zânio Estácio. Lá, as demandas não foram diferentes. Próximo à região existe um córrego, mas das 19 chácaras, apenas três conseguem captar a água do local. 

 

O presidente da Associação Nova Camapuã recebeu os extensionistas da Emater e a direção da empresa

 

No assentamento, o grupo já se organizou e formou uma cooperativa. No entanto, esbarram na falta de documentação para poder conseguir recursos e investir na produção. A direção da Emater ressaltou a importância do documento para que os produtores tenham acesso aos programas do governo voltados para agricultura familiar. Para a resolução do problema da água, Dantas apontou a construção de um poço artesiano.Diante da dificuldade financeira do governo, uma alternativa seria por meio de emenda parlamentar.

 

Os produtores de Nova Camapuã também prepararam um almoço para a comitiva da Emater. A extensionista Luciana Tiemann, coordenadora de Operações, e Rodrigo Teixeira, gerente Regional Oeste da empresa, bem como o gerente do escritório da Emater-DF em São Sebastião, Ivan Marques, a extensionista Lídia Rodrigues Jardim e técnicos e extensionistas que atuam em São Sebastião também participaram do encontro.

 

A Emater-DF
Empresa pública que atua na promoção do desenvolvimento rural sustentável e da segurança alimentar, prestando assistência técnica e extensão rural a mais de 18 mil produtores do DF e Entorno. Por ano, realiza cerca de 120 mil atendimentos, por meio de ações como oficinas, cursos, visitas técnicas, dias de campo e reuniões técnicas.

 

 

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal - Governo de Brasília

Emater-DF

Parque Estação Biológica, Ed. Sede EMATER-DF CEP: 70.770.915 Brasília - DF Telefone: 3311-9330 E-mail: emater@emater.df.gov.br