Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/10/21 às 11h43 - Atualizado em 1/10/21 às 11h43

Poda e cultivo de pitaya são temas de oficina da Emater-DF no PAD-DF

Pelo terceiro ano consecutivo, a Emater-DF  promoveu um dia de oficinas sobre poda e manejo de pitaya. A atividade foi realizada no espaço da Agricultura Familiar na AgroBrasília, região do PAD-DF, no Paranoá, onde fica o campo de validação de cinco variedades da fruta desenvolvidas pela Embrapa Cerrados e monitoradas pela Emater-DF. Cerca de 25 pessoas participaram, entre elas uma produtora rural de João Pinheiro (MG), que veio acompanhada de dois técnicos da Emater-MG.

“Sou servidora pública da prefeitura de João Pinheiro e tirei uma licença para cultivar pitaya, porque é na fazenda que eu me encontro. Eu já estava muito feliz e com essa oficina de hoje fiquei mais animada ainda”, contou Sandra Aparecida Correa, 44 anos, que já tem 400 pés da fruta.

  • Sandra e os demais produtores que participaram da oficina receberam informações sobre plantio, sistemas de condução, produção e comercialização de pitaya. Depois, eles mesmos, sob orientação dos técnicos da Emater-DF,  podaram as plantas e separaram as mudas para cultivarem diretamente em suas propriedades. A oficina foi realizada nesta quinta-feira (30 de setembro).

Variedades melhoradas

As variedades que eles tiveram acesso foram BRS Luz do Cerrado, BRS Lua do Cerrado, BRS Minipitaya do Cerrado, BRS Ambar do Cerrado e BRS Granada do Cerrado. Todas passaram por melhoramentos, que visam facilitar a condução e melhorar a qualidade e produtividade das plantas.

“Uma das vantagens dessas variedades aqui do campo de validação é a autopolinização. Significa que elas não precisam de polinização manual. Sem contar que foram desenvolvidas para o Cerrado, então se adaptam muito melhor a esta região do que as demais”, explicou o gerente do Escritório Especializado em Agricultura Orgânica e Agroecologia da Emater-DF, Daniel Rodrigues Oliveira, que acompanhou as oficinas.

Para Edson Bernardes, 61, morador do Núcleo Rural Córrego do Torto, esta foi a oportunidade de ampliar a produção. “Comecei minha produção bem artesanalmente mesmo, há dois anos, com 12 pés. Gostei e fui replicando. Hoje tenho 160 pés e estou com 700 covas abertas para aumentar a área”, contou.

Assistência Técnica

 

O coordenador de Fruticultura da Emater-DF, Felipe Camargo, explica que os produtores que participaram das oficinas e irão plantar as variedades de pitaya desenvolvidas pela Embrapa continuarão recebendo assistência da Emater-DF nas propriedades.

 

“Eles estão levando para as suas propriedades variedades melhoradas e receberão todo o acompanhamento técnico da empresa para conduzir a plantação da melhor maneira possível”, explicou.

 

Por ser bastante rústica, a pitaya pode ser cultivada sem uso de defensivos agrícolas. Suas únicas exigências são adubação e água. “Por isso é uma fruta que se dá muito bem em produções orgânicas e agroecológicas. Como, além disso, ela tem um valor agregado alto, se torna uma opção bastante interessante”, acrescenta Felipe.

 

A Emater-DF

Empresa pública que atua na promoção do desenvolvimento rural sustentável e da segurança alimentar, prestando assistência técnica e extensão rural a mais de 18 mil produtores do DF. Por ano, realiza cerca de 150 mil atendimentos, por meio de ações como oficinas, cursos, visitas técnicas, dias de campo e reuniões técnicas.

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

Emater-DF

Parque Estação Biológica, Ed. Sede EMATER-DF CEP: 70.770.915 Brasília - DF Telefone: 3311-9330 E-mail: emater@emater.df.gov.br