Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/09/21 às 8h48 - Atualizado em 5/09/21 às 8h58

Colha & Pague faz a diversão das crianças na 25ª Feira do Morango de Brasília

COMPARTILHAR

 

Famílias se dividiram entre a produção e fizeram suas colheitas, além de degustarem da fruta diretamente do pé

 

O Colha & Pague, atividade realizada pela Emater-DF, teve suas primeiras visitas da 25ª Feira do Morango de Brasília neste sábado (4). Na Chácara Fukushi, certificada na produção de orgânicos, o evento atraiu famílias inteiras, principalmente as crianças, que puderam passar pela experiência de colher morangos do pé e comer à vontade no local.

 

Heitor, de nove anos, que participou da visita com a mãe, a professora Paula Nogueira Silva, 49, e o pai, Emerson Patrício, 38, estava empolgado com a experiência. “Tô querendo fazer uma coleção de morangos”, contou enquanto os apanhava, sem saber dizer quanto tempo duraria a coleção.

 

 

E ele não era o único. Até Caetano, de apenas um ano, comeu morangos no meio da plantação. Ele estava tão à vontade com o ambiente que até dormiu no colo do pai, o bancário Sérgio Amaral dos Santos, 45. Enquanto isso, a mãe do menino, a enfermeira Lorayne Andrade, 37, dava conta da irmã dele, Clarice, de três anos. “Ela também não perde tempo”, disse.

 

 

Eles não eram os únicos a se equilibrar entre os canteiros de morangos e as crianças. A família do servidor público André Libreron, 40, e da personal organizer Jaluza Libreron, 37, se revezavam entre colher, comer e administrar as crianças. “Só não saberia dizer se quem está gostando mais são eles ou eu”, revelou Jaluza.

 

Chácara Fukushi

A Chácara Fukushi é gerida pelo produtor rural João Mitiyuki Fukushi, 70 anos, que chegou em Brasília na metade dos anos de 1970 já com a intenção de plantar morangos. Se instalou na região de Brazlândia por entender que a localização e clima locais seriam favoráveis ao cultivo.

 

Fukushi começou plantando morango convencional, mas iniciou a produção orgânica pouco tempo depois, em 1986, quando o tema ainda era muito pouco difundido. “Assisti a uma palestra de um japonês em São Paulo que falou sobre microorganismos eficientes e isso abriu meus olhos, porque a gente pensa que a terra não tem vida, mas ela é cheia de microorganismos que dão vida a ela e preparam todo o ambiente para a planta”, conta.

 

O produtor diz que o palestrante fez um comparativo entre a produção agrícola milenar do Japão antes da Segunda Guerra Mundial, quando não se usavam defensivos, e depois da guerra, e concluiu que a produtividade era maior e mais duradoura quando o cultivo era mais natural. “Aquilo me fez pensar a tecnologia moderna e voltar ao passado. Abracei aquilo pra minha vida”, lembra.

 

Os primeiros anos não foram fáceis. O agricultor chegou a quebrar porque os consumidores olhavam com desconfiança para a produção orgânica, mas nunca desistiu. A produção dele é pequena. São 15 mil pés, no total. Mas é o que garante o sustento da família.

 

 

Próxima edição

No próximo sábado (11) haverá outra edição do Colha & Pague na Chácara Fukushi. Para participar, é necessário fazer um pré-cadastro no site do Põe na Cesta. Os interessados deverão indicar a data e o horário em que desejam fazer o passeio. Ao todo, serão quatro turmas nos horários de 9h, 10h30, 14h e 15h30. Após este procedimento, a equipe organizadora entrará em contato para confirmar a inscrição.

 

A localização da propriedade será enviada por whatsapp, para que o visitante possa chegar ao local seguindo a rota enviada. Por se tratar de área rural, com pontos sem sinal de internet, os organizadores recomendam que o mapa seja aberto antes do deslocamento.

 

A taxa de adesão é de R$ 45 para adultos e crianças com idades a partir de 10 anos. Crianças de 5 a 10 anos e pessoas com mais de 60 pagam meia. Crianças menores de quatro anos não estão isentas de taxas. Nestes valores estão incluídos a visita à plantação, consumo da fruta no local e suco de morango. O pagamento dos ingressos deverá ser feito por PIX.

 

Os que desejarem colher para levar para casa também terão a oportunidade. Neste caso, será cobrado o valor de R$ 30 o quilo. Além disso, haverá geleias de morango orgânico disponíveis para venda. Os morangos e geleias comprados à parte poderão ser pagos em dinheiro, cartão de crédito ou PIX (se houver internet no local).

 

Devido à pandemia de Covid-19 e ao decreto do Governo do Distrito Federal (GDF) sobre cuidados sanitários, os grupos serão pequenos, de no máximo 20 pessoas. Portanto, quem quiser fazer o passeio precisa agendar o quanto antes.

 

Crianças se divertiram no primeiro dia de Colha Pague do Morango, em Brazlândia

 

Feira do Morango

A 25ª Feira do Morango de Brasília abriu oficialmente nesta sexta-feira, 3 de setembro. Ela segue em todo este fim de semana até o feriado de 7 de Setembro (dias 3, 4, 5, 6 e 7), e também no fim de semana seguinte (dias 10, 11 e 12). O horário de funcionamento é das 10h às 22h e o acesso é livre.

 

Devido à pandemia, o uso de máscaras é obrigatório, tanto nos espaços fechados quanto ao ar livre. Em todos os estandes, há álcool em gel disponível.

 

O evento é organizado pela Arcag e Instituto Rosa dos Ventos, com apoio da Emater-DF, Administração Regional de Brazlândia e Secretaria de Turismo.

 

A Emater-DF

Empresa pública que atua na promoção do desenvolvimento rural sustentável e da segurança alimentar, prestando assistência técnica e extensão rural a mais de 18 mil produtores do DF. Por ano, realiza cerca de 150 mil atendimentos, por meio de ações como oficinas, cursos, visitas técnicas, dias de campo e reuniões técnicas.

 

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

Emater-DF

Parque Estação Biológica, Ed. Sede EMATER-DF CEP: 70.770.915 Brasília - DF Telefone: 3311-9330 E-mail: emater@emater.df.gov.br