Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/07/20 às 15h29 - Atualizado em 6/07/20 às 15h34

Fruta exótica, pitaya é alternativa para diversificar a produção no DF

Espécies comerciais de pitaya: (A) Hylocereus undatus, (B) Hylocereus costaricensis, (C) Selenicereus setaceus, (D) Selenicereus megalanthus

 

Em um mercado cada vez mais competitivo, a introdução de novas espécies frutíferas pode ser uma boa opção para quem deseja diminuir riscos e diversificar fontes de renda. Por isso, a Emater-DF apresenta no circuito temático da fruticultura, na AgroBrasília Digital 2020, frutas que têm ganhado espaço no mercado consumidor, como a pitaya.

 

Emater apresenta 11 circuitos tecnológicos na AgroBrasília Digital

Semana do Alimento Orgânico começa junto com AgroBrasília Digital; veja programação
Maracujá pérola do cerrado é boa opção para cultivos orgânicos

 

A pitaya é uma planta considerada rústica e vendida como fruta exótica. É originária da América tropical e subtropical, mas está distribuída em todo o mundo. No DF, a colheita da pitaya acontece entre dezembro e abril e retira-se o fruto quando a casca fica totalmente da cor característica da espécie, seja vermelha ou amarela.

 

O cultivo da pitaya é baseado em algumas espécies que diferem entre si quanto à coloração da casca e da polpa, da presença ou não de espinhos, sabor e ainda tamanho dos frutos. As espécies mais cultivadas são: Hylocereus undatus (casca vermelha e polpa branca), Hylocereus costaricensis (casca vermelha e polpa vermelha), Selenicereus setaceus (casca vermelha com espinhos e polpa branca) e Selenicereus megalanthus (casca amarela com espinhos e polpa branca).

 

O coordenador do programa de Fruticultura da Emater-DF, Felipe Camargo, explica que a pitaya é uma fruta rústica, resistente a doenças e de fácil manejo. “É uma planta perene e com expectativa de produção ao longo de 15 anos. Por isso é importante fazer um planejamento inicial do cultivo, em especial no que diz respeito à implantação e à forma de condução.”, diz.

 

O cultivo e manejo da fruta fazem parte de um dos circuitos tecnológicos da Emater-DF na AgroBrasília Digital 2020. Este ano, a edição presencial da feira agropecuária, a maior do Centro-Oeste e uma das maiores do país, foi cancelada devido à pandemia do novo coronavírus. A edição virtual da feira teve início nesta segunda-feira (6) e vai até a sexta-feira (10).

 

A Emater participa da feira com uma série de vídeos técnicos, palestras e lives, em sua própria plataforma, na da AgroBrasília ou ainda na de parceiros, além de reportagens sobre temas relacionados ao campo.

 

Veja mais sobre o cultivo da pitaya no vídeo a seguir:

 

 

A Emater-DF
Empresa pública que atua na promoção do desenvolvimento rural sustentável e da segurança alimentar, prestando assistência técnica e extensão rural a mais de 18 mil produtores do DF e Entorno. Por ano, realiza cerca de 150 mil atendimentos, por meio de ações como oficinas, cursos, visitas técnicas, dias de campo e reuniões técnicas.

 

 

 

 

 

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

Emater-DF

Parque Estação Biológica, Ed. Sede EMATER-DF CEP: 70.770.915 Brasília - DF Telefone: 3311-9330 E-mail: emater@emater.df.gov.br