Governo do Distrito Federal
7/10/22 às 9h30 - Atualizado em 10/10/22 às 16h23

Bombeiros militares do DF aprendem técnicas de captura e manejo sustentável de abelhas

COMPARTILHAR

Curso visa criar, na corporação, uma doutrina de preservação dos insetos para contribuir com a preservação ambiental

 

 

 

Ensinar o manejo correto de enxames de abelhas com ferrão em ambientes urbanos é o objetivo do curso ministrado por técnicos da Emater-DF para bombeiros militares do Distrito Federal. Segundo dados do CBMDF, em todo o Distrito Federal, em 2021, houve 2.910 ocorrências de atendimento de resgate ou capturas de insetos, incluindo abelhas ou marimbondos. Desde janeiro deste ano, já foram 1.041 novos chamados.

 

São 40 horas de aulas teóricas e práticas, onde os profissionais aprendem como avaliar se a incidência das abelhas (Apis Melliferas) causa risco à população e como fazer a transferência desses enxames de forma a preservar a segurança das pessoas, além de contribuir com a preservação ambiental. O curso se-encerra nesta sexta-feira (22).

 

O extensionista da Emater-DF e coordenador do curso “Apicultura, Manejo Sustentável de Enxames”, João Pires, considera que os bombeiros militares estão buscando conhecimentos necessários e importantes, uma vez que trabalham com frequência com ocorrências de enxames de abelhas migratórias que passam pelo ambiente urbano, bem como incidentes verificados com enxames já estabelecidos. No primeiro momento podem não oferecer nenhum risco, mas posteriormente, à medida em que crescem e se fortalecem, causam incidentes dentro do ambiente urbano.

 

“Nas ocorrências de enxames de abelhas com ferrão em ambiente urbano, o procedimento comum usado pelos bombeiros militares tem sido o extermínio das colmeias ou enxames migratórios. No entanto, está havendo uma mudança de visão acerca da importância desses insetos para o equilíbrio ambiental, tendo como destaque a sua enorme contribuição como polinizadoras quando instaladas em ambientes apropriados, além do mel, própolis, cera, apitoxina (veneno), geleia real e pólen produzidos”, destaca João Pires.

 

O aspirante do Corpo de Bombeiros Militares do Distrito Federal Wanderson Rodrigues da Silva, lotado no Grupamento de Proteção Ambiental (GPRAM), é responsável pela doutrina na área de manejo das abelhas e marimbondos. Ele é um dos 32 inscritos no curso e avalia que o objetivo da turma é aprender o manejo correto, fazer a captura e realocar esses enxames em local adequado.

 

“Estou aqui para tentar aprender cada vez mais. Estamos formatando um Acordo de Cooperação Técnica entre a Emater e o CBMDF para aprendermos a fazer a captura e o manejo de abelhas de forma correta, para conseguir não as exterminar e consolidar uma doutrina única para toda a corporação. Atualmente ela é meio difusa, então a gente tem que conseguir deixar um caminho igual para todo mundo para todos agirem da mesma forma dentro das ocorrências”, declarou o aspirante Wanderson.

 

Multiplicar conhecimento

Para a soldado Evelin Campos Vieira, lotada no 45º Grupamento de Bombeiros Militares localizado no Sudoeste, que também está fazendo o curso, a intenção é poder ser uma multiplicadora do conhecimento de que as pessoas precisam das abelhas para a sobrevivência de todos.

 

“Já tenho uma noção de que exterminar as abelhas é prejudicial para o meio ambiente. É uma coisa básica, do planeta. A minha intenção principal com o curso é pode ser essa multiplicadora. Chegar ao meu quartel e explicar como funciona, como a gente pode atuar melhor para não exterminar as abelhas. O ideal é que no futuro esse conhecimento chegue a toda a corporação. Que todo mundo tenha acesso a esse curso”, afirmou Evelin.

 

Entre os inscritos no curso, há dois bombeiros voluntários. Um deles é o francês Pierre-Louis Larballais, presidente da Associação Nacional dos Sapadores-Bombeiros do Brasil. “Nós atuamos no maior condomínio do DF, o Mansões Entre Lagos. Quando recebemos um chamado para debelar um enxame de abelhas, aplicamos o que fazemos na França. Retiramos as abelhas e as levamos para uma reserva próxima ao condomínio, o que facilita o nosso trabalho. Por isso, estou aqui, para ampliar meus conhecimentos”, disse.

 

Para solicitar a retirada de colmeias ou enxames de abelhas, o cidadão deve ligar para o telefone 193. Toda a chamada vira uma ocorrência que levará à averiguação de um bombeiro capacitado, que irá até o local durante o dia avaliar se o trabalho necessário será de captura ou de extermínio, caso o enxame esteja ocasionando risco de morte ou danos à população. Normalmente, o serviço é realizado à noite quando os insetos estão mais calmos.

 

 

 

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

Emater-DF

Parque Estação Biológica, Ed. Sede EMATER-DF CEP: 70.770.915 Brasília - DF Telefone: 3311-9330 E-mail: emater@emater.df.gov.br