Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/02/18 às 16h40 - Atualizado em 29/10/18 às 11h43

Programa de Aquisição de Alimentos terá mais recursos em 2018

 

No total, serão R$ 3,5 milhões para a compra de produtos da agricultura familiar. Ação beneficia mais de mil produtores rurais e 30 mil pessoas em situação vulnerável

 

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) vai contar com R$ 3,5 milhões em 2018. De acordo com a Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri), mais de mil agricultores familiares serão beneficiados. O valor engloba R$ 1,5 milhão já existentes, somados a R$ 2 milhões do plano de trabalho, assinado pelos governos local e federal durante o seminário Alimenta Brasília, na manhã desta terça-feira (20).

 

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, disse que, mesmo com a crise que o país atravessa, a agricultura é a área mais próspera do Distrito Federal. “A melhor forma de manter o agricultor no campo e a destinação rural das nossas terras é garantir renda e oportunidade para a agricultura familiar. A qualidade de vida nas cidades depende da preservação da área rural”, ressaltou.

 

O plano de trabalho foi assinado pelo secretário de Agricultura do DF, Argileu Martins, e o secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Caio Rocha. A estimativa é que a Secretaria deAgricultura compre mais de mil toneladas de alimentos, que vão beneficiar pelo menos 30 mil pessoas, por meio da distribuição a entidades socioassistenciais. Em 2017, foram entregues 578 toneladas de produtos rurais para 28 mil pessoas, por meio de 118 entidades. Ao todo, foi executado R$ 1,8 milhão. Durante o seminário, o diretor de Compras Institucionais da Seagri, Lúcio Flávio da Silva, apresentou um resumo do funcionamento do programa em 2017 e as perspectivas para este ano.

 

Benefícios — Por meio do PAA, o governo compra os alimentos diretamente dos agricultores familiares e repassa a entidades socioassistenciais inscritas no Banco de Alimentos da Ceasa. Entre as que recebem estão creches, asilos, casas de recuperação de dependentes químicos e associações que atendem a pessoas em situação vulnerável. As instituições são selecionadas conforme critérios do Comitê Gestor Nacional do PAA, do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Assim, o programa beneficia as duas pontas: garante renda às famílias do campo e alimentação saudável a quem precisa.

 

O secretário de Agricultura, Argileu Martins, destacou a eficiência do sistema de compras e as vantagens para o produtor. “O agricultor familiar tem a experiência de estabelecer a escala da produção e a qualidade do alimento. Ele se organiza e se prepara para estar no mercado. Ao mesmo tempo, ele comercializa por um valor justo e fica menos refém da sazonalidade de preço”, explicou.

 

Já o presidente da Emater-DF, Roberto Carneiro, observou que o valor do PAA vem aumentando ano a ano, graças a um planejamento eficiente por parte do GDF e melhor organização dos agricultores. “O sucesso do produtor é o nosso sucesso”, ressaltou, lembrando o esforço dos extensionistas da empresa em apoiar e orientar os empreendedores rurais — da produção à comercialização passando pela gestão da propriedade e o acesso a políticas públicas do meio rural.

 

Na solenidade de assinatura do plano de trabalho, foi inaugurada uma unidade técnica do Programa Nacional de Crédito Fundiário. O serviço atenderá produtores interessados em solicitar crédito fundiário. No DF, o escritório fica no Centro de Capacitação e Comercialização da Ceasa-DF e começará a atender a partir desta quarta (21), das 8h à 12h e das 13h às 17h.

 

Além disso, por meio de acordo de cooperação com a Secretaria da Agricultura, foi entregue um veículo utilitário para a Associação dos Produtores Rurais Novo Horizonte transportar produtos. A parceria terá vigência de 36 meses. Segundo a representante da associação, Maria do Socorro Miranda, o automóvel vai ser útil para a panificadora que está sendo montada no assentamento Betinho (região administrativa de Brazlândia) e que vai envolver nove mulheres. “Vamos produzir pães, biscoitos, bolos e outros alimentos, que vão agregar valor à produção local e elevar a renda das famílias”, comemorou Socorro. As trabalhadoras foram capacitadas pela Emater-DF.

 

Horta — Outra novidade foi o anúncio de que a Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace) será beneficiada com a implementação de uma horta comunitária na sede da instituição. O espaço será montado com R$ 230 mil do MDS. A Emater-DF vai orientar e capacitar os instrutores da associação por meio do Programa de Agricultura Urbana.

 

2002 assinatura_PAA_socorro
Maria do Socorro Miranda recebeu as chaves do automóvel que vai auxiliar
mulheres do assentamento Betinho na produção de panificados

 

2002 assinatura_PAA_Roberto
Presidente da Emater-DF, Roberto Carneiro, destacou o trabalho realizado
pelos extensionistas da empresa no apoio aos agricultores familiares

 

Texto: Samira Pádua (Agência Brasília) e Rinaldo Costa (Ascom / Emater-DF)
Fotos: Ascom / Emater-DF

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

Emater-DF

Parque Estação Biológica, Ed. Sede EMATER-DF CEP: 70.770.915 Brasília - DF Telefone: 3311-9330 E-mail: emater@emater.df.gov.br