Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/04/18 às 10h18 - Atualizado em 28/06/18 às 15h08

Hortaliças

 

A produção de hortaliças é uma das mais importantes atividades econômicas do setor rural no DF, gerando mais de 30.000 empregos em toda a cadeia produtiva. Essa é uma atividade exercida por 2.551 empreendedores conforme levantamento realizado pelos escritórios locais da Emater-DF e estes, em sua maioria, são classificados como agricultores familiares (83%), ou seja, utilizam basicamente a força de trabalho da família.

 

A área plantada no Distrito Federal em 2016 foi de 8.726,45 ha de espécies diversificadas produzindo mais de 249.000 toneladas de alimentos conforme o relatório “Informações Agropecuárias do Distrito Federal 2016” da Emater-DF. Trata-se então, de uma vigorosa cadeia produtiva que precisa se manter atualizada atendendo aos anseios do mercado e que exige o incremento na produção de alimentos, mas também exige que esses possuam qualidade sanitária, que sejam produzidos em sistemas de produção sustentáveis e que gerem empregos qualificados.

 

Já em 2009, quando por iniciativa da Emater-DF e com o apoio de representantes de quase toda a cadeia produtiva foi elaborado o “Plano Executivo de Desenvolvimento Sustentável da Cadeia Produtiva de Hortaliças no Distrito Federal” identificava-se as vantagens comparativas e competitivas do Distrito Federal nesse setor, quais sejam:

 

– Unidade da federação que tem apresentado maior crescimento na sua densidade demográfica;

– Presença de ensino, pesquisa e extensão rural, permitindo obter os maiores rendimentos tecnológico, produtivo e econômico;

– Mercado consumidor extremamente promissor, demandando 150 mil toneladas de hortaliças/ano e aliado ao aspecto que a população de Brasília detém a maior renda per capita do país;

– Mercados consumidores em potencial, oriundos da Região Integrada do Desenvolvimento do Entorno-RIDE.

– Infra-estrutura de transporte e energética condizente com as demandas dos sistemas tecnológicos hortícolas implantados;

– Serviço de defesa de vigilância sanitária vegetal que assegure a qualidade da produção e na comercialização dos produtos olerícolas, bem como a sustentabilidade ambiental;

– Linhas de crédito para todos os componentes do Agronegócio de hortaliças;

Reconhecia-se ainda os benefícios econômico-sociais do agronegócio de hortaliças para a sociedade como o grande potencial na geração: 3 a 5 empregos diretos por hectare.

 

Outros estudos indicavam que a distribuição da renda entre os elos da cadeia produtiva eram extremamente desfavoráveis ao agricultor que ficava com a menor remuneração conforme figura abaixo.

 

 

Durante as discussões estimuladas pelos organizadores nas “Oficinas Regionais” chegou-se a constatação que “a cadeia de olericultura no Distrito Federal tem um desempenho abaixo de sua potencialidade” e que esse problema tem como principais causas:

 

1- Desorganização da Cadeia Produtiva;

2- Administração da Propriedade Rural feita de forma amadora;

3- Políticas públicas inadequadas para o setor.

 

Apesar de serem alvo de ações planejadas da Emater-DF e dos principais parceiros como a Seagri-DF, Embrapa Hortaliças, Sebrae-DF e Senar-DF, dentre outros, ainda hoje podemos afirmar que muito há para ser feito nesse setor.

 

O agronegócio de hortaliças mostra-se como uma excelente oportunidade para acelerar o crescimento econômico do Distrito Federal e Entorno, de forma sustentável, ao mesmo tempo em que gera empregos e renda para seus habitantes, tanto no meio rural quanto nas cidades. Então, a Emater-DF que tem como  missão “Promover o desenvolvimento rural sustentável e a segurança alimentar, por meio de Assistência Técnica e Extensão Rural, em benefício da sociedade do Distrito Federal e Entorno” atua fortemente nessa cadeia no intuito de oferecer assessoramento adequado às necessidades dos agricultores e aos rumos ditados pelo mercado que procura atender ao que clama a sociedade.

 

São beneficiários dessa atuação não só os agricultores do Distrito Federal e Entorno (familiares, pequenos, médios e grandes) e seus familiares, mas também os trabalhadores rurais. E ainda, os consumidores de hortaliças do Distrito Federal e RIDE, trabalhadores urbanos, empresários do setor secundário e terciário da cadeia produtiva de hortaliças.

 

Para informações complementares entre em contato com a Emater-DF no e-mail: geagr@emater.df.gov.br ou pelo telefone 3311-9363.

 

Antonio Dantas Costa Junior – Engenheiro Agrônomo, Emater-DF

Coordenador do Programa de Desenvolvimento da Olericultura

 

Plano Executivo de Desenvolvimento Sustentável da Cadeia Produtiva de Hortaliças no Distrito Federal

 

Hortaliças e frutas – Custos de produção

Abóbora Italiana

Abóbora Menina

Abóbora Japonesa

Agrião

Alface – Aspersão

Alface – Gotejamento

Alho

Banana – Implantação

Banana – Manutenção

Batata Doce

Berinjela

Beterraba

Brócolis – Cabeça

Brócolis – Ramoso

Cebolinha

Chuchu – Formação e manutenção 1º ano

Chuchu – Manutenção

Coentro

Couve-Flor (Aspersão)

Couve-Flor (Gotejamento)

Feijão-Vagem (Aspersão)

Feijão-Vagem (Gotejamento)

Feijão-Vagem – em sucessão a tomate

Feijão-Verde (Aspersão)

Feijão-Verde (Gotejamento em sucessão)

Goiaba (Implantação)

Goiaba (Manutenção 2º ano)

Goiaba (Manutenção 3º ano)

Goiaba (Manutenção 4º ano)

Goiaba (Manutenção 5º ano)

Gengibre

Graviola (Implantação)

Graviola (Manutenção 2º ano)

Graviola (Manutenção 3º ano)

Graviola (Manutenção 4º ano)

Graviola (Manutenção 5º ano)

Jiló (Aspersão)

Jiló (Gotejamento)

Limão Tahiti (Implantação)

Limão Tahiti (Manutenção 2º ano)

Limão Tahiti (Manutenção 3º ano)

Limão Tahiti (Manutenção 4º ano)

Limão Tahiti (Manutenção 5º ano)

Limão Tahiti (Manutenção 6º ano)

Mandioca

Mandioquinha-salsa

Maracujá (Implantação e Manutenção 1º ano)

Maracujá (Manutenção 2º ano)

Maxixe (Gotejamento)

Milho Verde

Morango

Pepino (Gotejamento)

Pepino – em sucessão a tomate

Pimenta Dedo de Moça ou de Cheiro (Aspersão)

Pimenta Dedo de Moça ou de Cheiro (Gotejamento)

Pimenta Malagueta (Aspersão)

Pimentão – Campo (Águas)

Pimentão – Campo (Seca)

Pimentão (Estufa)

Pimentão (Estufa Enxertia)

Quiabo (Aspersão)

Quiabo (Gotejamento)

Rabanete

Repolho

Rúcula

Salsa

Tangerina Poncã (Implantação)

Tangerina Poncã (Manutenção 2º ano)

Tangerina Poncã (Manutenção 3º ano)

Tangerina Poncã (Manutenção 4º ano)

Tomate (Campo)

Tomate (Estufa)

Tomate (Estufa com enxertia)

Tomate rasteiro (seca)

Uva Niágara Rosa (Implantação)

Uva Niágara Rosa (Manutenção)

Couve Manteiga

 

Cultivo Protegido – Custo de Instalação

Estufa com lanternim e fixação com molas – 382 m²

Estufa com lanternim e fixação com molas – 1147 m²

Estufa sem lanternim e fixação com molas – 382 m²

Estufa sem lanternim e fixação com molas – 1147 m²

Estufa sem lanternim e fixação com tarugos – 351 m²

Estufa sem lanternim e fixação com tarugos – 1071 m²

Telado – fotoconversora

Telado – sobreamento

Telado – termorefletora

Túnel alto – 1,6 metros

Túnel alto – 2,0 metros

Túnel baixo com arcos em ferro galvanizado – 0,9 metros

Túnel baixo com arcos em PVC – 0,9 metros

 

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

Emater-DF

Parque Estação Biológica, Ed. Sede EMATER-DF CEP: 70.770.915 Brasília - DF Telefone: 3311-9330 E-mail: emater@emater.df.gov.br